Audi cira diesel utilizando apenas água e ar

A montadora alemã Audi afirma ter criado o “combustível do futuro”, feito a partir de água, dióxido de carbono e fontes renováveis de energia. Ao contrário do diesel convencional, o chamado “e-diesel” não contém enxofre ou outros poluentes, além de ter uma eficiência energética de cerca de 70%. O combustível foi criado pela startup alemã Sunfire, parceira da Audi na criação de tecnologias limpas para os carros da marca, em uma fábrica em Dresden.

A criação do combustível, chamado de “azul cru” pela Audi, exige o aquecimento de uma quantidade de água até 800 ºC, gerando um processo de eletrólise (conversão de energia elétrica em energia química) que separa o hidrogênio do oxigênio.

O hidrogênio que resulta do processo de eletrólise reage com o CO2 em reatores criados espeficicamente para síntese de produtos químicos, em processos que mais uma vez acontecem em alta pressão e temperatura. O produto da reação é um líquido composto de hidrocarbonetos de cadeias longas, conhecido como “azul cru”.

Até mesmo o processo para gerar o combustível é ecologicamente correto. A eletricidade usada para aquecer a água é gerada por turbinas eólicas e o CO2 é capturado diretamente do ambiente, retirando o gás causador do efeito estufa da atmosfera.

O combustível sintético criado, livre de enxofre e hidrocarbonetos aromáticos (como benzeno, por exemplo), pode ser misturado com o diesel convencional ou até mesmo ser usado como combustível, de forma independente. A Sunfire estima que o preço de mercado do diesel sintético custe entre 1 e 1,5 euro por litro (4,7 reais), um pouco mais caro do que o diesel comum na Europa, mas com eficiência muito maior do que a gasolina (20%) e o diesel (45%).

Fonte: Info.abril

Email this page
Publicado em combustível, Leitor, Sustentabilidade, Tecnologia | Tagged , , , | Deixe um comentário

Invenção transforma água do mar em potável com energia solar

Uma parceria entre membros do MIT e de uma empresa indiana chamada Jain Irrrigation Systems criou um método para transformar água salgada em potável. Por conta da invenção, eles foram os vencedores de um desafio da USAID, um órgão do governo americano que lida com populações que passam necessidades.

O objetivo do desafio era criar um sistema simples e barato para fornecer água limpa para comunidades rurais em países em desenvolvimento. Pela vitória, eles receberam um prêmio de 125 mil dólares.

O sistema usa uma técnica chamada eletrodiálise. Em uma explicação simples, o sal é dissolvido na água e se transforma em partículas com cargas elétricas positivas e negativas. Para remover essas partículas, o sistema usa membranas elétricas que atraem as cargas como se fossem imãs.

“Funciona como um circuito elétrico. Os íons são puxados para fora da água em direção aos eletrodos”, disse Natasha Wright, doutoranda no MIT e uma das criadoras do sistema, ao jornal Boston Globe.Ela ainda ressalta que apenas 5% da água é perdida nesse processo.

A dessalinização é feita usando baterias, similares às de carros e caminhões. Elas são carregadas durante o dia utilizando painéis que captam energia solar, o que dá um caráter ecológico à invenção.

Uma unidade do sistema é capaz de abastecer água para irrigar uma pequena fazenda ou então para atender às necessidades de uma população de cinco mil pessoas.

Apesar do foco em países em desenvolvimento, a invenção pode ser importante também para grandes áreas metropolitanas.

Problemas graves com escassez de água assombram o estado de São Paulo desde o ano passado. O estado da Califórnia, nos Estados Unidos, também vem enfrentando uma crise hídrica histórica.

Fonte: Info.abril

Email this page
Publicado em Água, Energia, Leitor, Sustentabilidade, Tecnologia | Tagged , , | Deixe um comentário

Engenheiro de SP cria chuveiro que dá banho ‘infinito’ com dez litros de água

Chegar em casa após um dia exaustivo e deixar a água cair em abundância num banho de uma hora pode, em breve, não ser mais um grande problema –mesmo em plena crise hídrica.

Tudo isso graças à mais nova invenção do engenheiro mecatrônico Pedro Ricardo Paulino: um sistema capaz de dar um banho de tempo “infinito” com dez litros de água. Trata-se de um equipamento que recicla a água antes de devolvê-la para o chuveiro.

O “Professor Pardal” do interior paulista é o mesmo que ficou conhecido por criar uma máqui a que produz até20 mil litros de água por dia a partir da umidade do ar. Ele chegou a propor a invenção ao governo como solução para a crise hídrica.

Desta vez, o segredo é a instalação de um sistema de filtragem em alta velocidade que consegue dar conta de reabastecer o chuveiro.

Depois de escorrer pelo ralo, a água suja passa por dois filtros. Em seguida, ela é pressurizada por uma bomba e então é filtrada outras duas vezes. O líquido então é enviado para outro reservatório, onde é desinfectado e esterelizado por meio de raios ultravioleta e ozônio. Cada kit de filtros custa no Brasil entre R$ 300 a R$ 400 e chega a durar até 400 banhos.

Mesmo com todo esse sistema, o engenheiro não recomenda que mais de uma pessoa use a mesma água para tomar banho. “Com dez litros, a máquina inicia um novo ciclo que pode durar horas. Para evitar o risco de contaminação, criamos um dispositivo que descarta a água para o reservatório do vaso sanitário após o banho. Isso faz ela ser reaproveitada mais uma vez”, afirma Paulino.

Mas o engenheiro diz que nem mesmo após o primeiro ciclo de filtragem a água está purificada a ponto de ser ingerida. “Ele [sistema] tem um limite de saturação, principalmente se você sobrecarregá-lo com urina. Ele foi projetado para um uso racional.”

Segundo ele, a máquina ainda consome 70% menos energia que um chuveiro comum.

Mas o preço dessa economia e a mãozinha ao meio ambiente ainda é bem salgado. O chuveiro mais barato será vendido por R$ 8.000 cada e o mais moderno, com luzes de led e acabamento em aço inox e policarbonato, R$ 25 mil. “O sistema ainda é caro porque este é o primeiro projeto, que nem sequer foi lançado. O preço vai cair bastante quando produzirmos em larga escala”, afirmou.

Paulino conta que os clientes dele em potencial são principalmente hotéis, academias e casas. “Já temos clientes interessados no Brasil e no exterior. Já imaginávamos isso porque só desenvolvemos o produto após chegarmos à conclusão de que o maior consumo de água de uma residência ocorre no banheiro”, afirmou.

Mas o super chuveiro, que começou a ser desenvolvido há seis meses, não é imbatível. Após um teste de cerca de 20 minutos acompanhado pela Folha, uma modelo contratada pela empresa disse que havia um pouco de sabão na água. O engenheiro afirmou que o problema ocorreu devido ao excesso de produtos que ela usou para fazer espuma numa sessão de fotos.

Saiba mais em http://app.folha.com/#noticia/544452

Fonte: Folha de São Paulo.

Email this page
Publicado em Água, Leitor, Sustentabilidade, Tecnologia | Tagged , , , | Deixe um comentário

Base brasileira na Antártica ganha internet e TV

Agora os pesquisadores brasileiros na Antártica poderão assistir ao Netflix quando quiserem.

Foram instaladas, em março deste ano, novas antenas que fornecem sinais de internet e Tv para a Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), da Marinha Brasileira.

As antenas possuem 3,8 metros de diâmetro e pesam juntas 4,5 toneladas. O equipamento tem uma proteção com capa especial e um sensor que mantém sua resistência contra o frio ártico.

A Oi, empresa que fornece o sinal, já presta serviços à EACF desde 2006. No entanto, a companhia interrompeu as operações na estação após um incendio em 2012, que destruiu toda a base.

A Oi restabeleceu conexões com a EACF em fevereiro de 2013, porém a reinauguração da nova estação está marcada apenas para março de 2016.

Fonte: Exame.com

Email this page
Publicado em Curiosidades, Leitor, Tecnologia | Tagged , , | Deixe um comentário

Governo americano confirma caso de gripe aviária em Iowa

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) disse nesta segunda-feira (20/4) que o vírus da gripe aviária foi detectado em uma criação de frangos com 5,3 milhões de aves no Estado de Iowa. Esta é a maior criação de frangos afetada pelo surto atual da doença, que teve início no final do ano passado. Até agora, o número total de frangos e perus impactados pelo surto é de quase 8 milhões.

Autoridades não divulgaram o nome da propriedade de Iowa, mas a Associação de Aves Domésticas do Estado disse que a granja fornece ovos para consumo e processamento, e que todos os ovos foram coletados e colocados em quarentena.

Acredita-se que o vírus seja transmitido por patos e gansos selvagens, mas a indústria de aves e autoridades de saúde ainda não descobriram como a doença chegou a granjas com rigoroso controle sanitário.

No Estado de Wisconsin, o governador Scott Walker decretou nesta segunda-feira estado de emergência e autorizou a Guarda Nacional a ajudar na contenção do surto e nos trabalhos de limpeza após o descarte de aves afetadas.

Fonte: O Estadão.

Email this page
Publicado em Internacional, Leitor, Saúde | Tagged , , | Deixe um comentário

Dilma deve lançar Plano de Defesa Agropecuária no início de maio

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, informou nesta segunda-feira, (20/4), que o Palácio do Planalto marcou para o dia 6 de maio, (6/5), o lançamento do Plano Nacional de Defesa Agropecuária. A declaração foi feita à imprensa após audiência com a presidente Dilma Rousseff e os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e do Planejamento, Nelson Barbosa.

“Esse plano de defesa agropecuária é um avanço na defesa agropecuária do País, vamos melhorar todo o marco regulatório, melhorar a questão da qualificação, num trabalho muito ativo junto aos Estados e municípios no combate e na defesa (agropecuária), (com) regras e normas não só pra prevenção, mas em caso de risco, como todos nós devemos agir em todo o País”, disse a ministra.

Segundo Kátia Abreu, os Laboratórios Nacionais Agropecuários (Lanagros) passarão por uma reestruturação e modernização, sinalizando aos consumidores brasileiros e do mundo o “compromisso” das autoridades brasileiras com a “questão sanitária”. O plano também prevê a elaboração de um estudo com os custos envolvidos na defesa agropecuária.

“Hoje não existe milimetricamente medido quanto custa por hectare a ferrugem na soja, quanto custa por cabeça de bovinos a prevenção e o caso de risco; teremos um custo elaborado para que a União, o governo e o Congresso Nacional possam, de fato, lutar por esses recursos e mantê-los porque eles, de fato, serão necessários”, afirmou a ministra.

Fonte: Agroin.

Email this page
Publicado em Ação, Leitor, Política | Tagged , , | Deixe um comentário

Rio retira 53,1 toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas

O total de peixes mortos retirados da Lagoa Rodrigo de Freitas chegou a 53,1toneladas na manhã de hoje (20), segundo a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb). Os trabalhos começaram no último dia 8 e a previsão é que terminem nos próximos dias, caso não haja mais mortandade de peixes.

Localizada na zona sul do Rio, a lagoa será o principal palco das competições de remo e canoagem dos Jogos Olímpicos de 2016. A espécie que está morrendo na lagoa é a das savelhas e ainda não há uma explicação para o fato. Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a causa da morte pode ter relação com variações ambientais, já que a espécie é extremamente sensível a essas mudanças.

De acordo com a secretaria, está sendo feito um monitoramento da lagoa para análise dos dados. “As condições de oxigenação na lagoa estão dentro da normalidade, mas a situação de desequilíbrio continuará nos próximos dias, devido à presença de matéria orgânica decorrente da chuva. Parte dos peixes que permanecem na água e algas produtoras estão em decomposição consumindo o oxigênio dissolvido”, diz a secretaria.

Desde que se percebeu a mortandade dos peixes, há 13 dias, moradores, frequentadores e atletas de remo que treinam para as Olimpíadas reclamam do mau cheiro no entorno. O problema é ainda maior para os atletas de remo que treinam na lagoa para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do ano que vem. O coordenador técnico da equipe de remo do Vasco da Gama, Marcelo dos Santos, contou que os treinos chegaram a ser suspensos.

“Quando o Rio de Janeiro foi escolhido, nós tínhamos o pensamento de que iria acontecer algum verdadeiro legado, mas, neste momento, estamos muito pessimistas. Estamos prestes a realizar o evento-teste para as Olimpíadas e isso foi vergonhoso. Tivemos que evitar ir para água durante alguns dias porque o cheiro da decomposição dos peixes estava muito forte”, disse Santos.

Além de ter comprometido os treinos, a situação pode ser ainda pior, segundo a remadora Luana Gonçalves. “Treinar com esse cheiro é horrível. É preciso ter uma respiração controlada e o remador não consegue. Afeta o treino, fora o enjoo que a gente sente. A lagoa fica pesada e afeta a velocidade do barco. Houve dia em que não conseguíamos remar, de tanto peixe que tinha. A gente colocava a pá do remo na água e era só peixe que a gente empurrava. Isso pode afetar o resultado de uma competição de alto nível”, ressaltou.

A Comlurb informou que os peixes presos nos manguezais ainda estão sendo removidos e que garis trabalham utilizando pulverizadores com essência de eucalipto, para minimizar possível mau cheiro.

Fonte: Agência Brasil

Email this page
Publicado em Água, Leitor, Poluição | Tagged , , | Deixe um comentário

Indígenas pedem arquivamento da PEC sobre demarcação de terras

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados recebeu nesta quinta-feira (16/4) lideranças indígenas de várias etnias. Em audiência pública dedicada à mobilização nacional indígena, as críticas ao governo, Congresso Nacional e à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 215 foram a tônica do encontro.

A PEC 215, que transfere do Executivo para o Congresso o poder de demarcar terras indígenas, foi o principal alvo das críticas das lideranças presentes.

“Os fazendeiros dizem que já ganharam. Isso acaba se tornando verdadeiro para nós, porque as demarcações não são concluídas. Elas ficam aguardando a votação da PEC, para nos prejudicar”, disse o líder Paulino Terena. “A maior força dos fazendeiros é que eles têm condição de ter representantes aqui. Nós não temos”, completou.

“Levei um tiro na perna. Jogaram combustível no meu corpo, tentando tirar minha vida. Fiquei em acolhimento provisório por seis meses. Pedi para voltar à comunidade, porque tirar um líder indígena da terra dele não adianta. O que adianta é arquivar a PEC 215 e demarcar os territórios dos povos do Brasil”.

Presidente da comissão, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) ouviu vários relatos de índios ameaçados de morte por fazendeiros ou que tiveram parentes assassinados. “Sou Guarani-Kaiowá e minha comunidade é uma das mais massacrados do Brasil. É a maior violência, a maior matança de lideranças no Brasil. Se a PEC for aprovada, será pior ainda para nós”, alertou o líder Eliseu Guarani-Kaiowá.

Pimenta prometeu visitar o Mato Grosso do Sul, de modo a acompanhar de perto a situação dos povos indígenas da região. O presidente da comissão revelou que gostaria de fazer a visita “o quanto antes”. “Quero conhecer as regiões de conflito, para mostrá-las ao Brasil e ao mundo.”

A audiência pública teve a participação de parlamentares e representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Jaime Siqueira, da Funai, criticou a falta de estrutura da entidade. “A Funai tem enorme dificuldade para articular políticas indígenas, porque está fragilizada, com poucos recursos e poucos servidores”.

Fonte: O Estadão.

Email this page
Publicado em Legislação, Leitor, terras indígenas | Tagged , , | Deixe um comentário

Cientistas propõem uso de CO2 capturado para produzir energia limpa

Cientistas americanos apresentaram uma proposta, durante a reunião europeia de geociência realizada em Viena, que visa conter as emissões de CO2 na atmosfera, além de aproveitá-lo para gerar energia limpa, já que o dióxido de carbono é um dos grandes responsáveis pela mudança climática.

A ideia desenvolve a já existente técnica de captura de dióxido de carbono emitido pelas usinas termoelétricas, na qual o gás é injetado a grandes profundezas em açudes naturais onde fica preso pela rocha impermeável que o cobre.

Agora, um grupo de cientistas propõe que o gás não seja somente armazenado, mas também aproveitado para produzir energia.

A temperatura, que cresce com a profundidade, faz com que o gás fique muito fluido e possa ser usado para transportar à superfície, através de poços verticais, o calor e a pressão que serviriam para movimentar turbinas de produção de eletricidade e substituir a água utilizada hoje em dia nas usinas geotérmicas.

“Gosto de pensar que é uma energia renovável que usa energia fóssil como matéria-prima”, explicou à Agência Efe Jeffrey Bielicki, professor da Universidade Estadual de Ohio e um dos desenvolvedores de uma ideia da qual se fala há tempos nos Estados Unidos.

O gás esfria e volta a ser injetado no subsolo, onde é pressionado para baixo, para depois se aquecer e voltar a subir.

Dessa forma, é criado um “circuito fechado”, no qual o dióxido de carbono não só não escapa na atmosfera mas, além disso, é aproveitado para produzir eletricidade, detalhou Bielicki.

“Os combustíveis fósseis não vão desaparecer”, opinou este cientista, ao lembrar que estas fontes de energias são muito abundantes e permitem produzir energia que, se não forem considerados os danos ambientais, é barata.

“Se não vão desaparecer, o que tentamos fazer é nos preocupar com alguns efeitos colaterais”, considerou.

Esta tecnologia alcançaria, assim, um triplo objetivo: combater a mudança climática, produzir energia e economizar água.

Embora Bielicki reconheça que esta técnica está ainda em uma fase de desenvolvimento, ele confia que o incentivo econômico que envolve ajude para que o financiamento flua.

“O benefício é que podemos vender a eletricidade, há um incentivo econômico, o que esperamos que torne o projeto mais atrativo para os investidores”, afirmou.

Por enquanto, grande parte da tecnologia e das técnicas necessárias (o armazenamento de CO2 ou as usinas geotérmicas) embora já existam, como diz Bielicki, “não foram colocadas de uma forma integrada”.

Por isso, Bielicki considera que estes tipos de infraestruturas poderiam ser economicamente competitivas com usinas térmicas de carvão, usinas nucleares e fontes de energia renováveis.

Uma das vantagens de usar este CO2 líquido, sozinho ou em combinação com nitrogênio e água, é que este gás extrai calor de forma mais eficaz do que a água.

Dessa forma, a localização destas usinas não ficaria limitada a áreas onde há focos térmicos muito intensos relativamente perto da superfície, mas poderiam ser usadas em outras áreas mais frias.

Além disso, ao fluir mais facilmente que a água, o CO2 quente permite levar à superfície a mesma energia com menos esforço.

Com as altas temperaturas do subsolo, o dióxido de carbono se expandiria tão rapidamente pelo encanamento que inclusive eliminaria a necessidade de usar bombas, e economizaria energia.

Segundo Bielicki, os primeiros modelos teóricos mostram que uma usina deste tipo poderia capturar o CO2 produzido em um ano por três centrais térmicas de tamanho médio (cerca de 15 milhões de toneladas).

Entre os riscos desta tecnologia destacam-se os vazamentos, que poderiam contaminar aquíferos potáveis, uma possibilidade que Bielicki vê como pouco provável, já que esse água está muito acima dos níveis dos quais seria injetado o CO2.

Fonte: Agência EFE.

Email this page
Publicado em Energia, Leitor, Sustentabilidade, Tecnologia | Tagged , , | Deixe um comentário

Confaz deverá aprovar desoneração de painéis solares nos próximos dias

Apesar de não ter sido apreciada, no último dia 10, pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), conforme estava previsto, a desoneração de tributos e contribuições incidentes sobre painéis geradores de energia solar deverá ser deliberada nos próximos dias, informou hoje (15) o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, durante audiência na Câmara dos Deputados.

A desoneração dos painéis se dará de duas formas: de um lado, os estados deixarão de cobrar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); de outro, a União deixará de arrecadar as contribuições do  Programa de Integração Social (PIS) e do Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

“Era para o Confaz ter desonerado os painéis solares [da incidência de tributos e contribuições] na reunião do dia 10. Isso não aconteceu [devido à existência de outros tópicos urgentes, na pauta], mas o convênio deverá ser aprovado em uma reunião extraordinária [que deverá ocorrer] nos próximos dias, muito provavelmente na semana que vem”, disse Braga na Câmara.

Segundo o ministro, à semelhança do que tem ocorrido com a fonte de geração eólica, “haverá, no país, o surgimento de uma indústria [de painéis solares] que gerará empregos e favorecerá a atividade econômica”.

“Vamos criar energia [alternativa] à [fonte] hidrelétrica para termos segurança energética e [amenizarmos] os riscos hidrológicos atípicos que têm acontecido nos últimos anos e que devem [ocorrer] em 2016, caso não haja chuva abundante no período entre janeiro e março do ano que vem”, acrescentou. Para Braga, o desafio da pasta, agora, é fazer do sistema elétrico brasileiro um sistema  “seguro, e mais barato”.

Fonte: Agência Brasil.

Email this page
Publicado em Economia, Energia, Leitor | Tagged , , | Deixe um comentário