Cientistas constroem cidade fantasma para testar tecnologia

O estado do Novo México, por algum motivo, é sempre escolhido para ser palco de experimentos científicos extraordinários. Foi na região de Los Alamos, por exemplo, que os americanos desenvolveram na década de 40 o chamado Projeto Manhatan, cujo objetivo era o de construir bombas atômicas.

Agora, em pleno século 21,o estado foi eleito mais uma vez pela comunidade científica como o local ideal para testes de tecnologias emergentes. É na região da cidade de Hobbs, localizada no condado de Lea, que será construído um centro de pesquisas científicas e tecnológicas gigante. Mais que um prédio, o centro será erguido com tamanho e dimensões reais de uma cidade.

O CITE (Center for Innovation, Testing & Evaluation) irá simular a vida em uma cidade americana de médio porte, de 35 mil habitantes. Ninguém vai viver nas suas instalações, o CITE será uma espécie de cidade fantasma, usada única e exclusivamente como ambiente de testes.

Mesmo assim, para deixar a cidade fantasma com aspectos ainda mais reais, ela será dividida em centro urbano, subúrbio e zona rural. Além disso, será construído um aeroporto, escola, prédio da prefeitura e até uma Igreja. Em relação à infraestrutura, esta será composta por elementos novos e velhos para se aproximar aos desafios reais.

O objetivo do CITE é observar como será a implantação e o funcionamento de novas tecnologias em um centro urbano. O fato de não ser habitado contribui ainda mais para que o que há de mais novo e moderno em termos de tecnologias emergentes sejam aplicados em um ambiente real, sem que coloque em risco a vida dos seus habitantes.

De acordo com o CEO da Pegasus Global Holdings, empresa por trás do projeto do CITE, a ideia de construir um centro de pesquisa com forma e dimensões de uma cidade veio justamente da crescente necessidade de levar o que é desenvolvido dentro dos laboratórios para ambientes mais próximos da realidade. “Só assim é possível verificar os custos e limitações técnicas de determinadas tecnologias”, explicou o CEO em comunicado à imprensa.

A princípio, o CITE irá contemplar testes em áreas como sistema de transportes inteligentes, energias renováveis, redes elétricas inteligentes, telecomunicação, desenvolvimento de novos recursos e também segurança. Mas a intenção é ampliar cada vez mais o leque do que será aplicado na cidade. Os projetos serão frutos de pesquisas realizadas por órgãos governamentais, universidades e também pelo setor privado.

Segundo a Pegasus, a construção do CITE está prevista para começar em Junho de 2012. Ainda não existe, porém, estimativa de quando o projeto será concluído para começar.

Fonte: EXAME.com

Email this page
Este post foi publicado emCuriosidades, Internacional, Tecnologia e tags , , . Bookmark o permalink.Este conteúdo está fechado ara trackbacks, mas você podepostar um comentário.

Deixe uma resposta