Por que nós não estamos acreditando nos cientistas do clima?

Um novo estudo publicado pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos revelou grandes disparidades  na credibilidade científica relativa dos diferentes lados do debate sobre as mudanças climáticas.

A questão principal é, em quem você acredita? Na grande maioria de cientistas que pregam que as emissões de gases causadores do efeito estufa geradas por atividades antrópicas estão claramente alterando o nosso clima, podendo causar muitos problemas? Ou você acredita na porcentagem  pequena de cientistas céticos que dizem que nenhum problema está ocorrendo com o nosso clima?

Em muitos momentos das nossas vidas, nós dependemos de testemunhas e pontos de vistas de experts. Nós fazemos isso quanto estamos doentes e vamos ao médico, quando o nosso carro quebra, ao precisarmos de um representante no tribunal, por exemplo, entre outros. E nós as vezes pagamos muito para disfrutar dos anos de estudo e experiência desses profissionais.

A ciência do clima é um pouco diferente, pelo menos é o que parece. Uma grande (e crescente) proporção da sociedade parece estar ignorando a opinião de 97% dos climatologistas. E além de tudo, isso está confundindo muitos que trabalham com algo relacionado a ela.

Este novo estudo, conduzido pelo Professor Steve Schneider da Universidade de Stanford, traz uma revisão extensiva de literatura que estabelece identidades, pontos de vistas e autoridade respectiva de 1372 pesquisadores do clima, cujos trabalhos “constituem expertise ou credibilidade em pesquisas científicas técnicas ou de política relevante”. Um dos principais objetivos do trabalho, de acordo com seus autores, foi providenciar uma ferramenta, para ajudar aqueles por fora das ciências do clima a escolher melhor em que experts acreditar.

Uma ampla análise da própria comunidade de cientistas do clima, a distribuição da credibilidade de pesquisadores que concordam e discordam com ela, e o nível de concordância entre os top experts da área, ainda estão para ser conduzidos a fim de dar uma base melhor para futuras discussões.

No estudo, foram utilizados dados de 1371 cientistas do clima e suas publicações e citações mostram que: 97-98% dos pesquisadores do clima com publicações mais ativas na área apóiam os princípios pregados pelo IPCC.

A ideia central parece que quanto mais um cientista tem seu trabalho citado em publicações relevantes sobre o clima, mais credibilidade eles devem ter para serem considerados um “expert” na área. Não há nada de muito inovador nisto, já que é assim que funciona em qualquer outra disciplina, mas é iluminador ver os resultados dispostos de maneira tão sucinta

Email this page
Este post foi publicado emAquecimento Global. Bookmark o permalink.Este conteúdo está fechado ara trackbacks, mas você podepostar um comentário.

Deixe uma resposta