Mudança climática está fora da agenda de Dubai

Uma manchete em um jornal the Gulf News (Notícias do Golfo) publicado nesta semana dizia “Emirados Árabes Unidos tem maior emissão de carbono per capta do mundo”‘.

The Palm

De acordo com um estudo publicado no jornal, a pegada ecológica per capta dos Emirados Árabes calculada a partir de dados de 2008, equivale a 95000m², e apenas 21oo0m² estão disponíveis por pessoa.

O diretor do departamento ambiental do município de Dubai,  Hamdan Al Shaer, disse que este número tem lados positivos e negativos. “Houveram muitas mudanças nos cálculos e revisões de dados, desta forma não podemos apenas olhar para o número (ranking) e dizer que nós não estamos indo bem ,” disse.

O boom da construção civil na ensolarada Dubai, parece ter causado tanto barulho que abafou os debates  ambientais ocorrendo em algum outro lugar do mundo.

A escala de construções imponentes como a famosa ilha The Palm, e os arranha-céus construídos em uma região onde a falta de espaço não é o problema, é impressionam qualquer um. A quantidade de concreto ambientalmente “imoral” colocada lá, porém,  é incalculável.  Outdoors  glorificando os benefícios da energia solar  soam como algo nunca pensado antes.

As mudanças climáticas estão apenas começando a serem vistas como um proplema para os contrutores de propriedades, desde que a crise econômica deslanchou e dificultou o êxito de suas nascentes ambições ambientais. “Ser verde não é barato,” disse Markus Giebel, executivo chefe do grupo de propriedades Deyaar Development de Dubai.  “Dubai estava no caminho certo, mas agora não há dinheiro. As pessoas estão pensando apenas em sobreviver.”

Email this page
Este post foi publicado emAquecimento Global, Internacional, Sustentabilidade e tags , . Bookmark o permalink.Este conteúdo está fechado ara trackbacks, mas você podepostar um comentário.

Deixe uma resposta